12 de dezembro de 2017 - 13:46

Mundo

25/07/2017 08:35 G1

Genro de Trump fala ao Senado em investigação sobre a Rússia

O genro do presidente americano Donald Trump compareceu nesta segunda-feira (24) diante de uma comissão de senadores que investiga se houve conspiração entre a campanha do candidato do Partido Republicano e o governo da Rússia.

Jared Kushner passou duas horas na Comissão de Inteligência do Senado, a portas fechadas. Antes do encontro, Kushner publicou um documento de 11 páginas em que apresentou a defesa dele.
No documento, ele disse que se encontrou duas vezes com o ex-embaixador russo em Washington, e participou da reunião com russos na Trump Tower, com o filho do presidente, Donald Trump Jr., e o então diretor da campanha de Trump, Paul Manafort.

Mas o genro de Trump afirmou que não sabia que o assunto a ser tratado na reunião incluiria informações relacionadas à Rússia ou à então candidata democrata Hillary Clinton. Ele disse que nem leu o e-mail com o título “Rússia - Clinton - privado e confidencial”, que Trump Jr. mandou antes da reunião.

Kushner contou também que se encontrou com um banqueiro russo ligado ao presidente Vladimir Putin.

Quando preencheu os formulários para trabalhar na presidência, ele não revelou esses encontros.
Em frente à Casa Branca, Kushner disse que ele e outros da campanha não tiveram contatos indevidos com russos e afirmou que buscar suspeitas na campanha eleitoral é falta de respeito com os eleitores que recompensaram Donald Trump por uma campanha inteligente.
Jared Kushner fala novamente na terça-feira (25) na Câmara dos Deputados e, nos próximos dias, Donald Trump Jr. e Paul Manafort farão o mesmo. Todas as entrevistas serão a portas fechadas. Só que mentir ou omitir informações pode ter consequências sérias. É crime atrapalhar investigações do Congresso.


Copyright 2016 -  Todos os direitos reservados

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo