Policia

03/11/2018 09:39 Noticias de Hoje e HiperNoticias

Policia investiga se preso foi morto por ter deixado Comando Vermelho

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o assassinato do detento Edson Pedro Tamborlim, de 39 anos, que foi encontrado morto, na tarde de domingo (28), na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá. Até o momento, nenhum dos presidiários foi identificado como o autor do crime. A polícia estuda a hipótese de que a vítima tenha sido morta por ter deixado a facção criminosa Comando Vermelho (CVMT).

Edson foi preso no dia 20 de outubro, com aproximadamente 15 kg de cocaína, no bairro Porto, em Cuiabá. No endereço, também foi detido com o comparsa Willyan de Almeida, de 34 anos. Ele passou por audiência de custódia e foi encaminhado para a maior penitenciária de Mato Grosso.

O homem permaneceu uma semana no Raio 1 da unidade e, no oitavo dia, foi assassinado pelos colegas de cela. Após a morte, testemunhas contaram aos policias que Edson pertencia ao Comando Vermelho e teria decidido sair da facção. 

A medida não teria sido vista com “bons olhos” pelos líderes da organização, que acusaram Edson de ter “rasgado a camisa” (termo usado para quem deixa de ser membro da facção) e migrado para o Primeiro Comando da Capital (PCC). A situação é considerada uma traição pelos criminosos.

 A informação sobre a causa do homicídio, no entanto, está sendo investigada pela delegada da DHPP, Alana Cardoso, que coordena os trabalhos. Até esta sexta-feira (2), nenhum dos autores havia sido identificado.

A morte

No dia do crime, os agentes penitenciários informaram que nenhum dos presidiários saiu para o banho de sol, como é de costume. A atitude chamou a atenção dos servidores e, quando foram até a cela, encontraram Edson caído de bruços, morto.

Em seguida, os detentos começaram a se aproximaram dos agentes na tentativa de gerar tumulto. No entanto, os servidores conseguiram controlar a ação.

Ao serem questionados, os presos do Raio 1 não informaram quem matou Edson.


Copyright © 2017  Notícias de Hoje -  Telefone: (65) 3358-5258 - Todos os direitos reservados.